Ir para o conteúdo

Câmara Municipal de Promissão - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social YouTube
Rede Social instagram
Nosso Jardim
    
Abio
O abieiro, abiu, abiurana, abiurana-acariquara, abiorama, abio ou guapeva ou cabo-de-machado (região Centro-Oeste (Pouteria caimito) é uma árvore frutífera da família Sapotaceae, nativa da Amazônia Central e da Mata Atlântica costeira do Brasil.  O seu fruto apresenta coloração amarela e algumas variedades apresentam várias estrias verdes que riscam o fruto no sentido longitudinal. Possui casca lisa, baga translúcida, branca ou amarela, mucilaginosa e doce; pode conter em seu interior de 1 a 4 sementes lisas e pretas. Amadurece entre maio e novembro.
LER MAIS
    
Areca Bambu
A areca-bambu, ou palmeira de jardim (Dypsis lutescens), é uma palmeira, nome comum da família Arecaceae. Possui troncos múltiplos formando touceira, cresce rápido e pode chegar de 6 a 12 metros de altura. É muito utilizada para decoração de jardins ou interiores diversos. Sua origem é de Madagáscar.
LER MAIS
    
Aurora
A Aurora (Hibiscus mutabilis) é um arbusto semi-lenhoso, ereto, ramificado, alcançando até 4 metros de altura, também designado como malva-rosa, rosa louca, amor-dos-homens, mimo-de-vénus, papoila, papoula-de-duas-cores, rosa-branca, rosa mudança, rosa-de-são-francisco e rosa-paulista. Originário da China, é muito cultivado como ornamental.
LER MAIS
    
Bauhinia Branca
Bauhinia Branca é uma espécie botânica pertencente à subfamília Caesalpinioideae. Os seus nomes comuns são casco-de-vaca-branco ou unha-de-vaca-branca. De coloração branca, com 5 pétalas, aparecem no inverno e primavera, normalmente a árvore fica caduca (sem folhas) ou com poucas e já com muitas vagens ainda verdes. Em formato de vagem, com 15 a 30 cm de comprimento, que ao secarem liberam sementes que possuem rápida germinação.
LER MAIS
    
Canelinha
A Canelinha (nectandra megapotamica) é da família das Lauraceae. Originária de São Paulo seu tempo de viveiro é cerca de 4 a 6 meses. Rusticamente pronta para o plantio, mede 30 cm.
LER MAIS
    
Cassia Imperial
A cássia-imperial (Cassia fistula, L.), também conhecida como canafístula, é uma árvore da família das fabáceas, subfamília Caesalpinioideae, com origem no Sudeste da Ásia.  É uma árvore de crescimento rápido, que atinge um porte de 5 metros de altura, para 4 metros de diâmetro da copa arredondada. As folhas são pequenas e caducas. A floração decorre entre dezembro e abril e origina flores amareladas. A frutificação é do tipo vagem e decorre de setembro a novembro. É uma planta resistente ao frio.
LER MAIS
    
Cassia Rosea
A cássia-rosa é uma árvore decídua e florífera, bastante utilizada na arborização urbana pela sua beleza, rápido crescimento e rusticidade. O porte é considerado médio a grande, sendo que os maiores indivíduos alcançam 30 metros de altura, porém na média não passam dos 20 metros. O tronco pode ser único ou múltiplo, é tortuoso, curto (cerca de 8 metros de altura), cilíndrico e pode chegar a um diâmetro de 100 cm. A casca é de cor marrom, fissurada e com textura áspera, apresentando pouca descamação. A copa é ampla, com cerca de 8 metros de diâmetro e uma distribuição irregular dos ramos.
LER MAIS
    
Cedro
O Cedro, conhecido também como cedro-cetim, cedro-rosa, cedro-missioneiro ou acaiacá (Cedrela fissilis Vell., entre outros nomes científicos) é uma árvorenativa do Brasil, da família das meliáceas.Árvores que podem atingir os 30 m de altura; folhas compostas, 25 a 120 cm, pecíolo densamente tomentoso a curto pubescente; folíolos de 12 a 18 pares, opostos a subopostos, sésseis a curto-pecioluilados pardo escuros quando secos, oblongos a oblongo-lanceolados até oval-lanceolados.
LER MAIS
    
Cica
A Cica ou sagu-de-jardim, conhecida também como cycas revoluta, é uma espécie de cicadófita do género Cycas da família Cycadaceae, nativa de Fujian, na China, e de Kyushu e Ilhas Ryukyu, no Japão. Esta espécie tem importância ornamental, mas é tóxica se ingerida. É ainda usada na medicina popular.
LER MAIS
    
Ficus
Ficus benjamina é uma espécie de planta da família Moraceae pertencente ao gênero Ficus conhecida pelo nome comum de figueira-benjamim. Essa espécie é nativa da Ásia.
LER MAIS
    
Goiaba Vermelha
A Goiaba Vermelha (Psidium guajava L.) é uma pequena árvore frutífera tropical, nativa de toda a América, exceto México e Canadá. Também é conhecida pelos nomes de araçá-guaçu, araçaíba, araçá-das-almas, araçá-mirim, araçauaçu, araçá-goiaba, goiaba, goiabeira-branca, goiabeira-vermelha, guaiaba, guaiava, guava, guiaba, mepera e pereira.
LER MAIS
    
Grevilea
Grevílea (Grevillea robusta) é a maior planta do gênero Grevillea. É nativa da costa leste da Austrália. É uma árvore de crescimento rápido, de folha perene, que atinge 18–35 m de altura e tem folhas verdes delicadamente denteadas e bipinuladas, semelhantes à folhagem dos fetos. As folhas têm geralmente o tamanho de 15–30 cm de comprimento com o lado inferior branco acinzentado ou cor de ferrugem. Suas flores são cor laranja-ouro com floração tipo Callistemon, com 8–15 cm de comprimento na primavera, num caule de 2–3 cm. As sementes, maduras no final do inverno ou começo da primavera, frutificam em folículos marrom escuro, com cerca de 2 cm de comprimento, com uma ou duas sementes chatas, com asas.
LER MAIS
    
Guapuruvu
O guapuruvu (nome científico: Schizolobium parahyba) é uma árvore da família das fabáceas, notável pela sua velocidade de crescimento que pode atingir 3 metros por ano. A árvore é também conhecida como guarapuvu, garapuvu, guapiruvu, garapivu, guaburuvu, vapirubu, ficheira, bacurubu, badarra, bacuruva, birosca, faveira, pau-de-vintém, pataqueira, pau-de-tamanco ou umbela. Foi inicialmente descrita por J. M. C. Vellozo em 1825 sob o nome de Cassia parahyba. É a árvore símbolo de Florianópolis, capital de Santa Catarina.
LER MAIS
    
Ipê Amarelo Cascudo
O ipê-amarelo-cascudo (Tabebuia chrysotricha) é uma árvore brasileira, descrita originalmente em 1845 por von Martius como Tecoma chrysotricha. Outros nomes populares: aipê, ipê, ipê-amarelo, ipê-amarelo-da-mata, ipê-amarelo-paulista, ipê-do-campo, ipê-do-morro, ipê-tabaco, pau-mulato. Árvore pequena, com 2 a 10 m de altura.  Folhas palmadas penta-folíoladas, com folíolos elíptico-oblongos ásperos, coriáceos, pubescentes em ambas as faces, sendo o terminal maior, com até 11 cm de comprimento.  As flores, sésseis, se formam com a planta despida de folhas, entre agosto e setembro. Os frutos, vagens finas e longas, amadurecem entre setembro e outubro. A planta se desenvolve rapidamente no campo.
LER MAIS
    
Ipê Branco
Ipê-branco (Tabebuia roseoalba) é uma árvore brasileira, descrita inicialmente em 1890 como Bignonia roseo-alba. Seus nomes, tanto científico quanto popular, vêm do tupi-guarani: ipê significa árvore de casca grossa e tabebuia é pau ou madeira que flutua. É uma árvore usada como ornamental, nativa do cerrado e pantanal brasileiros.  É conhecida como planta do mel no Brasil e Argentina.  Alcança de 7 a 16 metros de altura, com tronco medindo de 40 até 50 cm de diâmetro. Dotado de copa alongada, possui um tronco ereto medindo de 40 a 50 cm de diâmetro, com casca suberosa e superficialmente fissurada. Possui folhas compostas trifolioladas.
LER MAIS
    
Ipê Roxo Comum
Espécie com 20-35 m de altura e tronco com 60-80 cm de diâmetro. As folhas são compostas palmadas, 5-folioladas e os folíolos, quase glabros, possuem de 5-13 cm de comprimento por 3-4 cm de largura. As flores são reunidas em inflorescências terminais, com coloração roxa e, raramente, branca. Os frutos são vagens que contêm sementes aladas, próprias para a dispersão pelo vento.
LER MAIS
    
Jaboticaba
JABOTEKAVA vem do nome indígena tupi Jaboté que é um tipo de botão indigna e Kava – fruto semelhante, de modo que a etimologia é “Fruto semelhante a botão”. Também é chamada de Jabuticaba de cabinho, Jabuticaba pendula e Jabuticaba do mato.  É encontrada com maior facilidade na natureza nas florestas semideciduais e na floresta ombrófila mista desde o estado de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul.
LER MAIS
    
Jatobá
Jatobá-verdadeiro, jatobazeiro ou apenas jatobá, (nome científico: Hymenaea courbaril) é uma árvore da famíliadas fabáceas. É a espécie arbórea dominante na floresta estacional semidecidual submontana. A espécie pode alcançar 40 metros de altura e 2 metros de diâmetro, embora uma árvore tenha atingido 95 metros na Amazônia. As folhas são compostas por 2 folíolos, semidecíduas, coriáceas, com seis a 14 cm de comprimento e 3 a 5 cm de largura. A floração ocorre na época de seca do ano e a frutificação ocorre cerca de 4 meses depois.
LER MAIS
    
Jequitibá Vermelho
O jequitibá-vermelho pode ser chamado de cachimbo-de-macaco ou cachimbeira é uma árvore brasileira que pertence a família da Lecythidaceae. Pode chegar a até dezoito metros de altura com um tronco de oitenta centímetros de diâmetro, as folhas e flores possuem um tom avermelhado e seus frutos possuem sementes que podem ter de oito a dezesseis sementes sendo seus frutos pixídio elípitico.  Esse tipo de árvore pode ser encontrada em estados como Mato Grosso, Tocantins e Goiás onde possua várzeas inundáveis ou matas de galerias. As sementes encontradas nos frutos do jequitibá vermelho são o prato predileto dos macacos e sua madeira é bastante utilizada na construção civil sendo a casca utilizada para cordoaria.
LER MAIS
    
Jerivá
O jerivá (Syagrus romanzoffiana), também chamado baba-de-boi, coco-catarro, coqueiro, coqueiro-jerivá, coquinho-de-cachorro , jeribá, Coqueiro pindoba, Coco juvena, Coqueiro pindó, Gerivá, Juruvá, Jiruvá, Jurubá, é uma palmeira nativa da mata atlântica, no Brasil, podendo ser encontrada também em seus ecossistemas associados, como restingas, florestas ombrófilas densas, florestas estacionais semideciduais, florestas estacionais deciduais, ou outras formações florestais como matas ciliares, matas paludosas, e cerrado.
LER MAIS
    
Mogno das Índias Ocidentais
Swietenia mahagoni (L.) conhecida pelos nomes comuns de mogno e mogno-das-índias-ocidentais, é uma espécie de árvore do género Swietenia da família Meliaceae, nativa do sul da Flórida e das ilhas das Caraíbas, incluindo as Bahamas, Cuba, Jamaica e Hispaniola. Foi a partir desta espécie que se iniciou na Europa ocidental o uso da madeira actualmente comercializada sob a designação comercial de mogno. O estado de conservação da espécie Swietenia mahagoni está listado como espécie em perigo na Preservation of Native Flora of Florida Act (Lei de Preservação da Flora Nativa da Flórida), a legislação que regula a manutenção da biodiversidade vegetal na Flórida. A espécie é considerada a árvore nacional da República Dominicana.
LER MAIS
    
Noni
Morinda citrifolia, normalmente conhecido por noni (da língua havaiana), nono Taiti, aal (na língua hindi), é uma pequena árvore da família das rubiaceae. A morinda citrifolia é originária do sudeste asiático, tendo sido difundida pelo homem através da Ásia Meridional, ilhas do Oceano Pacífico, Polinésia Francesa, Porto Rico e mais recentemente a República Dominicana. O Taiti continua a ser o local de maior cultivo. O noni cresce tanto em florestas tropicais, como em terrenos rochosos, ou arenosos. É tolerante a solos salinos e certas condições de seca. É, portanto, encontrado numa grande variedade de habitats: terrenos vulcânicos, ou mesmo em terra calcária. Pode crescer até 9 m de altura e tem folhas finas simples, de coloração verde clara, com veias vincadas. A planta dá flores e...
LER MAIS
    
Oiti
O oiti (Licania tomentosa), também chamado goiti, oitizeiro e oiti-da-praia, é uma árvore da família Chrysobalanaceae que pode atingir entre oito e quinze metros de altura. Espécie originária da Mata Atlântica, popular em Pernambuco é muito utilizada na arborização de várias cidades brasileiras do Nordeste e do Rio de Janeiro. O seu fruto é uma drupa elipsoide ou fusiforme, de casca enrugada marrom escuro quando madura, com cerca de doze a dezesseis centímetros de comprimento e com caroço volumoso e oblongo. A polpa é doce, pastosa, areiada feito uma pinha, enjoativa. Sua aparência externa não é das mais atraentes, muito pelo contrário e a polpa tem uma cor de ocre puxando para o amarelo fosco.
LER MAIS
    
Paineira Branca
A paineira branca mede de 26-28m, de copa globosa, de ramos novos, glabros (desprovidos de pêlos), com tronco ereto, de 40-60 cm de diâmetro, revestido por casca acinzentada, estriada e coberta de acúleos de 1-2 cm é um processo epidérmico usualmente pontiagudo, que se destacam com facilidade. Eles ocorrem em vários órgãos da planta. Folhas compostas palmadas, geralmente com 5 folíolos largo-elíptica ou com pecíolo comum de 2,5-10,5 por 1,5-4,5 cm, nervação inconspícua. Flores axilares ou terminais, solitárias ou em grupos de 2-3, com pedúnculo glabro de 2-4 cm, com estames fundidos. Fruto cápsula elipsoide, lisa, contendo sementes envoltas por plumas brancas. A madeira, de características mecânicas baixas, é indicada apenas para contra placados, miolo de portas e para confecção de...
LER MAIS
    
Paineira Rosa
Árvore ornamental brasileira de flores grandes e vistosas, essa espécie produz frutos semelhantes a abacates, só que de casca muito dura. É difícil encontrá-los ainda fechados no chão: eles se abrem ainda no pé, nos galhos mais altos, estourando a casca depois de muitos dias de exposição ao sol. Assim, maduros, estão prontos para serem fuçados pelos passarinhos que, como o vento, são os responsáveis pela dispersão das sementes. De beija-flores a periquitos e maritacas, é grande o número de aves que recheia seus ninhoscom paina - uma maneira muito confortável de manter os ovos aquecidos e protegidos de umidade.
LER MAIS
    
Palmeira Leque
A palmeira-leque é uma espécie de pequeno porte, que dificilmente ultrapassa os três metros de altura. Seu estipe (tronco) é único e de pouco diâmetro. Ela chama atenção, no entanto, por suas folhas tão singulares. Elas são grandes, redondas a triangulares, coriáceas, de cor verde-brilhante, plissadas e com margem denteada. Estas folhas são sustentadas por pecíolos fortes, longos e espinhentos. Apenas os indivíduos já com tamanho considerável de tronco florescem e frutificam. As flores são de cor creme, diminutas e surgem em inflorescências ramificadas que despontam em longos cachos. Os frutos são vermelho-alaranjados, esféricos e bastante decorativos. Ocorre ainda uma forma variegada da planta com belas folhas listradas de branco.
LER MAIS
    
Palmeira Rabo de Peixe
A Palmeira rabo de peixe vem da Índia até o sudeste asiático, principalmente Malásia e ilhas vizinhas, na floresta tropical úmida. É conhecida também como palmeira-rabo-de-peixe, cariota-de-touceira.  Características gerais:  Palmeira crespitosa, desprovida de palmito, formando touceira densa de 6-10 metros de altura. Caule múltiplos, anelados, marrom-esverdeados, de cerca de 14cm de diâmetro, com fibras na base dos pecícolos. Folhas bipinadas, divergentes, dispostas ao longo de quase todo o comprimento do tronco; pinas assimétricas, em forma de cunha, rígidas, de margem reta e ápice irregularmente denteado (rabo-de-peixe). Inflorescências dispostas na axila das folhas, formadas ao mesmo tempo de cima para baixo, pendentes, curtas, ramificadas. Frutos globosos, inicialmente avermelhados...
LER MAIS
Seta
Versão do Sistema: 3.2.3 - 06/06/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia